25 julho 2014

CHARGE DO BESSINHA

Dilma se emociona ao instalar comitê de combate à tortura

Folha faz nova denúncia sobre aeroporto em Minas

:
Após acusar Aécio Neves de gastar R$ 14 milhões do governo de Minas para construir aeroporto em terreno da família, jornal de Otavio Frias diz que o hoje presidenciável tucano abriu caminho para que seu tio-avô resolva pendência judicial em ação por ter feito pista de pouso em sua fazenda nos anos 80 com recursos públicos; ao desapropriar terreno bloqueado na Justiça, ele ganhou o direito de receber do Estado pelo menos R$ 1 milhão de indenização pela área

247 – Desde domingo, o presidenciável tucano Aécio Neves tem sido questionado por denúncia da ‘Folha de S. Paulo’ sobre suposto uso da máquina pública como governador de Minas Gerais para construir aeroporto em terras de sua família.
Ele teria gasto R$ 14 milhões em seu segundo mandato na obra em Cláudio (MG), mas alega que o terreno de seu tio-avô fora desapropriado para o fim.
Nesta sexta-feira, o jornal de Otavio Frias faz nova denúncia e aponta que, ao desapropriar a área, favoreceu o fazendeiro Mucio Tolentino em uma pendência judicial que se arrasta há mais de uma década.
O fazendeiro é réu numa ação movida pelo Ministério Público estadual que o obriga devolver aos cofres públicos o dinheiro gasto pelo Estado na construção de uma pista de pouso existente no local antes de o aeroporto ser feito pelo governo de Aécio.
Desde então, a área foi bloqueada para venda na Justiça. Com a desapropriação, feita sete anos depois, ele ganhou o direito de receber do Estado pelo menos R$ 1 milhão de indenização (leia aqui).

Dilma: precisamos de novo ciclo de desenvolvimento

:
“Tiramos as pessoas da miséria, agora precisamos dar um salto. Precisamos de um novo ciclo de desenvolvimento, investindo em infraestrutura, educação e inovação”, disse a presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, ao comentar avanço do Brasil no IDH; segundo ela, o país conseguiu sair da crise econômica mundial em posição melhor do que outros países: “Enquanto eles desempregaram 60 milhões de pessoas, nós criamos 20 milhões de empregos”


Vladimir Platonow - Repórter da Agência Brasil - A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, defendeu ontem (24) que o Brasil ingresse em um novo ciclo de desenvolvimento, baseado na infraestrutura, na educação e na inovação. Ela participou, à noite, de um compromisso de campanha no município de São João de Meriti, na Baixada Fluminense, que reuniu o vice-presidente, Michel Temer, o governador do Rio, Luiz Fernando Pezão, candidato à reeleição, e dezenas de prefeitos fluminenses.
Em um discurso de 32 minutos, Dilma ressaltou a parceria política e estratégica do governo federal com o governo do Rio, iniciada durante o governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do ex-governador Sérgio Cabral, que, segundo ela, proporcionou ao estado a retomada de setores econômicos fundamentais, como o de estaleiros, além de ter propiciado a conclusão de projetos viários importantes, como o Arco Rodoviário e o Bus Rapid Transport (BRT) Transcarioca, inaugurados recentemente.
“Tiramos as pessoas da miséria, agora precisamos dar um salto. Precisamos de um novo ciclo de desenvolvimento, investindo em infraestrutura, educação e inovação”, disse a presidenta durante o discurso. Dilma deu o exemplo de que, hoje em dia, o investimento em banda larga é tão importante quanto a construção de rodovias.
A presidenta destacou que o Brasil conseguiu sair da crise econômica mundial em posição melhor do que outros países. “Por qualquer critério, o Brasil é um país que se saiu muito melhor do que todos os demais, diante da crise. Enquanto eles desempregaram 60 milhões de pessoas, nós criamos 20 milhões de empregos”, comparou.
Ao final, ao comentar as várias previsões negativas que são feitas para o país, mas que, segundo ela, não se realizam, Dilma disse que esta será uma campanha eleitoral “da verdade contra a mentira, da verdade contra o pessimismo”.

ALTA PRODUÇÃO LEVANTA AÇÃO DA PETROBRAS EM 72%

:
Papéis da estatal atingem valor mais alto em 22 meses; pico de R$ 21,05, nesta semana, representou alta de 72% sobre pior cotação no ano, de R$ 11,81, em março; além da especulação feita em torno das pesquisas eleitorais, agora investidores reconhecem que elevação para 1,95 milhão de barris/dia de petróleo extraídos pela estatal no País garante ótimos resultados financeiros; da área do pré-sal já saem mais de 500 mil barris/dia nos primeiros poços; "É a Harvard das águas profundas", comparou, elogiando, o banco Credit Suisse; JP Morgan e Goldman Sachs também recomendam compra dos papéis em razão de "crescimento consistente" na produção; presidente Graça Foster comemora: "Aqui dentro temos uma espécie de mantra: produção, produção e produção", diverte-se ela

247 – O mercado está devolvendo, e rapidamente, toda a sangria provocada de maneira especulativa sobre as ações da Petrobras. Esse retorno já está na casa dos 72% de valorização do papel da estatal brasileira desde o piso em que se encontrava no pregão do dia 17 de março, quando valia apenas R$ 11,81, no seu pior momento histórico. Nesta semana, atingiu o pico de R$ 21,05. Foi o maior valor histórico do papel da petrolífera desde o dia 14 de setembro de 2012, vinte e dois meses atrás. O fechamento nesta quinta-feira 24 ficou em R$ 20,31, com valorização de 0,25% sobre a véspera.
Desta vez, o motivo da forte maré de alta das ações da Petrobras não está na  especulação dos investidores em torno de pesquisas de opinião. Os grandes operadores da Bolsa de Valores jogaram quantias pesadas na fuga do papel no ano passado. A partir de março, correram a fazer pesadas compras, ao sabor de boas notícias nas pesquisas eleitorais para a oposição, o que levou o preço da ação subir com o crescimento de expectativa sobre um segundo turno.
O que faz a ação subir, agora, é um motivo muito mais robusto e adequado ao julgamento de uma companhia pelo mercado: seus resultados. No caso da Petrobras, os players do mercado de ações se renderam ao fato de a companhia ser a única, em todo o mundo, a aumentar sua produção de petróleo nos últimos seis anos. Com atuais 1,95 milhão de barris produzidos diariamente, a Petrobras já retira, desde o final de junho, mais de meio milhão de barris diários exclusivamente de poços na área do pré-sal, confirmando projeções de um universo de 13 bilhões de barris.
Importantes analistas de mercado convergem para avaliações em tudo positivas sobre a decisão estratégica da presidente Graça Foster, da Petrobras, de dar prioridade à busca por petróleo. O Credit Suisse, em relatório a investidores, chamou o pré-sal de Harvard das águas profundas”, reconhecendo a riqueza que a estatal preservou, em leilões, para si própria, nos contratos de concessões compartilhadas. Goldman Sachs, JP Morgan e Bradesco passaram a recomendar a compra dos papéis da estatal, registrando o crescimento consistente do aumento da produção.
- Aqui temos uma espécie de mantra: produção, produção, produção, disse Graça ao 247, em entrevista com jornalistas da mídia internet, na comemoração promovida pela companhia para a retirada superior a 500 mil barris/dia no pré-sal.
- Sabemos que produzir mais é o presente e o futuro dessa empresa. Cobro os diretores todos os dias, desde a primeira hora em que entram na minha sala. A marca de meio milhão de barris diários no pré-sal é histórica, e muitas outras virão. Nossas reservas comprovadas no pré-sal são de pelos menos 13 bilhões de barris, assinala a presidente.
O mercado não deixou de registrar que a companhia garantiu junto ao governo direitos exploratórios sobre áreas do pré-sal que não foram licitadas no primeiro momento. A companhia não irá precisar tomar empréstimos e aumentar seu endividamento para fazer os investimentos necessários na exploração dos atuais e novos poços.
- Estamos entrando num círculo virtuoso, no qual quanto mais produzimos, mais faturamos e mais temos capacidade de investir.
Acima dos ataques especulativos provocados pela disputa presidencial, a Petrobras está mostrando resultados de uma solidez estratégica que o mercado não tem como não aplaudir.
Nós estávamos certos, sabíamos que estávamos.

Ibope e Datafolha: Aécio não decola!

Altamiro Borges, Blog do Miro 

 "O senador Aécio Neves não está atolado apenas com a descoberta do aeroporto privado do seu titio em Cláudio, construído com R$ 14 milhões dos cofres públicos de Minas Gerais. O cambaleante presidenciável do PSDB também está com dificuldades dedecolagem na sua candidatura. A pesquisa Ibope divulgada nesta terça-feira (22) apontou que Dilma Rousseff segue na liderança da corrida sucessória com 38% das intenções de voto. Já o ex-governador mineiro, que bancou o “aecioporto”, aparece com 22%. Na comparação com a sondagem anterior do mesmo instituto, a petista caiu um ponto e o tucano subiu um ponto, dentro da margem de erro. Já o dissidente Eduardo Campos, perdeu dois pontos e agora tem 8% das intenções de voto; os demais candidatos somam 7%. Nesta fotografia do momento, Dilma Rousseff seria reeleita já no primeiro turno.

A pesquisa do Ibope apresenta resultados parecidos com a do Datafolha, divulgada na última quarta-feira (16). Nela, a presidenta aparecia com 36% das intenções de voto no primeiro turno; Aécio tinha 20%; e Campos somava os mesmos 8%. A diferença é que a Folha tucana, do mesmo grupo empresarial do Datafolha, forçou uma leitura distorcida sobre o segundo turno, apresentando um estranho empate técnico entre Dilma e Aécio (44% a 40%). Esta abordagem encheu de ânimo os tucanos, embriagou o senador mineiro-carioca e até ressuscitou FHC. Ela também serviu para outro objetivo: encher os cofres do PSDB, que já arrecadou entre os ricos empresários o que foi fixado como gastos da campanha eleitoral de 2014 – R$ 290 milhões.

Este entusiasmo, porém, não resiste aos fatos – e nem precisava da implosão do “aecioporto”. Numa análise mais realista do que a de seus patrões, o jornalista Fernando Rodrigues já havia publicado, em 4 de julho, um artigo que relativizava o otimismo do cambaleante tucano. Com base numa série histórica de pesquisas, ele demonstrou que “o desempenho do senador Aécio Neves (PSDB), nesta fase da campanha, é equivalente ao recorde negativo dos candidatos da oposição em segundo lugar em todos os ciclos eleitorais desde 1994”. Ele chegou a esta conclusão ao analisar os resultados da pesquisa anterior do “Datafalha”, em que o mineiro aparecia com 20% das intenções de voto – quase o mesmo percentual deste novo levantamento.

“Esse percentual só foi registrado por José Serra em julho de 2002, quando também era candidato da oposição – o tucano perdeu naquele ano para Luiz Inácio Lula da Silva (PT)... Nas eleições de 1998, 2006 e 2010, o segundo colocado nesta fase da campanha (mês de julho) registrava um desempenho superior ao de Aécio. Em 98, o segundo colocado era Lula, com 28%. Em 2006, Geraldo Alckmin (PSDB) pontuava 29%. E em 2010, Dilma e Serra estavam empatados tecnicamente com 38% e 39%, respectivamente... Nas cinco eleições passadas analisadas neste post, só houve uma virada com o segundo colocado na largada da campanha chegando em primeiro lugar no final. Foi em 1994, quando FHC ultrapassou Lula. Em todas as outras disputas, quem começou a campanha como líder isolado acabou vencendo”.
http://nogueirajr.blogspot.com.br/

24 julho 2014

CHARGE DO BESSINHA

Ex-delegado do Dops: Zuzu Angel foi morta pela Ditadura

:
O ex-delegado do Departamento de Ordem e Política e Social (Dops) Cláudio Guerra afirmou nesta quarta-feira, 23, à Comissão Nacional da Verdade que a morte da estilista Zuzu Angel, em 1976, foi provocada por agentes da Ditadura Militar; segundo Guerra, o coronel do Exército Freddie Perdigão teria estado na cena do acidente de carro que vitimou a estilista; "Ele [Perdigão] narrava para mim que ele tinha planejado, obedecendo ordens, a simulação do acidente dela", afirmou Guerra; coordenador da Comissão da Verdade, Pedro Dallari, afirmou que "outros elementos" obtidos pelo órgão que indicam que o acidente da estilista foi planejado; "Até hoje as Forças Armadas insistem em negar que Zuzu Angel tenha sido vítima de um assassinato"

247 - O ex-delegado do Departamento de Ordem Política e Social (Dops) Cláudio Guerra afirmou nesta quarta-feira, 23, à Comissão Nacional da Verdade que a morte da estilista Zuzu Angel, em 1976, foi provocada por agentes da Ditadura Militar. Segundo Guerra, o coronel do Exército Freddie Perdigão teria estado na cena do acidente de carro que vitimou a estilista.
"Ele [Perdigão] narrava para mim que ele tinha planejado, obedecendo ordens, a simulação do acidente dela, e que estava muito preocupado porque havia sido fotografado, ele achava que era a perícia que tinha fotografado ele sem querer", afirmou Cláudio Guerra, no depoimento. O ex-agente da ditadura apresentou à comissão uma foto, supostamente de Perdigão no local, porém a foto estava recortada só para a figura dele e distorcida por ter sido ampliada, impedindo a identificação exata do cenário. A imagem maior deve ser entregue posteriormente à CNV.
O coordenador da Comissão da Verdade, Pedro Dallari, afirmou que essas informações se acrescentam a "outros elementos" obtidos pelo órgão que indicam que o acidente da estilista foi planejado. "Temos outros elementos que nos permitem ir convergindo para essa conclusão do assassinato da Zuzu Angel. Você não forma convicção a partir de um único elemento, é um indício, mas há alguns outros elementos que estamos pesquisando. Vai nessa direção e faz todo sentido", disse Dallari. "Até hoje as Forças Armadas insistem em negar que Zuzu Angel tenha sido vítima de um assassinato", afirmou.
Zuzu Angel era mãe de Stuart Angel, militante do grupo guerrilheiro MR-8, que foi preso em 14 de maio de 1971 e até hoje desaparecido. Com seu desaparecimento, Zuzu Angel fez uma mobilização nacional e internacional em busca do filho, tornando-se uma figura incômoda ao regime militar.
O coronel Feddie Perdigão, morto em 1997, é apontado como torturador da Casa da Morte de Petrópolis. Guerra afirmou que Perdigão lhe entregava corpos para serem incinerados em uma usina em Campos dos Goytacazes (norte do Rio de Janeiro), para que não fossem mais encontrados. No depoimento, Guerra relatou 13 casos de pessoas incineradas por ele, por ordens do regime militar.

Vicentinho cobra investigação sobre aeroporto em MG

:
Líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), protocolou na Secretaria da Mesa Diretora da Câmara dois requerimentos de informações sobre a construção de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG), na gestão do então governador Aécio neves; ele também abrirá outra solicitação de audiência pública para debater o caso

Iolando Lourenço - Repórter da Agência Brasil - O líder do PT na Câmara, deputado Vicentinho (SP), protocolou ontem (23) na Secretaria da Mesa Diretora da Câmara dois requerimentos de informações sobre a construção de um aeroporto na cidade de Cláudio (MG), na gestão do então governador Aécio neves.
Hoje (24), o petista deverá protocolar outro requerimento solicitando a realização de audiência pública para debater a construção do aeroporto.
Um dos requerimentos do líder petista pede que o Ministério da Defesa, por meio do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, informe os pousos e decolagens ocorridos no aeródromo de Cláudio. O outro documento solicita à Secretaria de Aviação Civil que preste esclarecimentos sobre a construção e o funcionamento do aeroporto.
Ontem (23), O PT entrou com um pedido de abertura de inquérito na Procuradoria-Geral da República para investigar a suposta utilização irregular do aeródromo. A medida foi tomada após reportagem do jornal Folha de S.Paulo, publicada no último domingo (20), revelar que o governo de Minas Gerais construiu o aeroporto em uma fazenda que pertencia ao tio-avô do candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, que era governador do estado na época.

Brasil reduz pobreza em 22% e sobe posição no IDH

:
ONU calcula índice de 187 países com base em renda, educação e saúde; Brasil está na faixa de países de desenvolvimento 'elevado': “O Brasil, em termos de desenvolvimento humano, mostra uma melhora consistente da condição de vida das pessoas nos últimos 30 anos. A nível global foi um dos países que mais melhorou”, elogiou o argentino Jorge Chediek, representante residente do Pnud e coordenador do sistema ONU no Brasil
Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil - O Brasil subiu no ranking mundial de desenvolvimento humano em 2013. Segundo dados divulgados hoje (24) pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), o país ficou em 79º lugar no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) no ano passado, uma posição acima da registrada em 2012. Apesar da melhora, o Brasil continua abaixo de outros países latino-americanos como Chile, Argentina, Cuba e Uruguai.
Com IDH 0,744, o país registrou a mesma nota da Geórgia (república da região do Cáucaso) e de Granada (país do Caribe). Pela metodologia das Nações Unidas, o Brasil é considerado um país de alto desenvolvimento humano por ter registrado nota acima de 0,7. O IDH varia de 0 a 1, grau máximo de desenvolvimento. Em 2013, o indicador abrangeu 187 países.
A Noruega foi o país com maior IDH no ano passado, com índice de 0,944, seguida de Austrália (0,933), Suíça (0,917) e Holanda (0,915). Em relação aos países latino-americanos, os mais bem classificados foram Chile (41º lugar, com nota 0,822), Cuba (44º, com nota 0,815) e Argentina (49º, com nota 0,808), considerados com grau muito alto de desenvolvimento humano por terem obtido nota acima de 0,8.
Na América Latina e Caribe, Uruguai (50º no ranking, com nota 0,790), Barbados (59º, nota 0,776), Antígua e Barbuda (61º, nota 0,774), Trinidad e Tobago (64º, nota 0,766), Panamá (65º, nota 0,765), Venezuela (67º, nota 0,764), Costa Rica (68º, nota 0,763), México (71º, nota 0,756) e São Cristóvão e Nevis (73º, nota 0,750) também registraram IDH mais alto que o Brasil.
Entre o Brics, grupo que reúne as cinco principais economias emergentes do mundo, o Brasil registrou o segundo melhor IDH, atrás da Rússia (57º lugar, nota 0,778). Com nota 0,719, a China ficou na 91ª posição. A África do Sul ficou em 118º no ranking (nota 0,658); e a Índia, em 135º (nota 0,586).
Apesar da melhoria de 2012 para 2013, o Brasil acumula queda de quatro posições em relação a 2008, quando estava em 75º na lista geral. De acordo com o Pnud, o IDH brasileiro melhorou em todos esses anos. No entanto, quatro países – Irã, Azerbaijão, Sri Lanka e Turquia – tiveram crescimento maior que o Brasil no período, resultando na perda de posições.
Criado em 1980, o IDH mede o desenvolvimento humano por meio de três componentes: expectativa de vida, educação e renda. Em 2013, o Brasil registrou 73,9 anos de expectativa de vida, 7,2 anos de média de estudo, 15,2 anos de expectativa de estudo para as crianças que atualmente entram na escola e renda nacional bruta per capita de US$ 14.275 ajustada pelo poder de compra.
O IDH do Brasil em 2013 subiu 36,4% em relação a 1980. Naquele ano, a expectativa de vida correspondia a 62,7 anos, a média de estudo era de 2,6 anos, a expectativa de estudo somava 9,9 anos, e a renda per capita totalizava US$ 9.154.
“O Brasil é um dos países que mais evoluíram no desenvolvimento humano nos últimos 30 anos”, disse o representante residente do Pnud no Brasil, Jorge Chediek. Ele destacou que as mudanças são estruturais e têm ocorrido em todos os governos.
Por causa de mudanças na metodologia, a série histórica do IDH foi revista. Pelo critério anterior, o Brasil tinha ficado em 85º em 2012. Com a mudança de cálculo, o país subiu para a 80ª colocação no ano retrasado.

Ação popular pede Campos como réu por improbidade

      :
Desapropriação de terrenos na Zona da Mata, interior de Pernambuco, para implantação de distrito industrial e fábrica da montadora Fiat leva advogado Péricles Henrique Ferreira da Silva a pedir inclusão como réu, em ação popular, do presidenciável Eduardo Campos em processo por improbidade administrativa; Estado teria sido prejudicado em R$ 204 milhões por mudança de finalidade de áreas desapropriadas de Companhia Agroindustrial de Goiana; teria ocorrido uma "desapropriação amigável"
Pernambuco 247 - A desapropriação de uma série de terrenos na região da Zona da Mata, no interior de Pernambuco, em 2011, levou o advogado Péricles Henrique Ferreira da Silva a incluir o então governador e atual candidato do PSB a presidente, Eduardo Campos, como um dos réus numa ação popular que deu entrada, em abril deste ano, no Tribunal de Justiça de Pernambuco. A acusação é por improbidade administrativa, o tipo de expressão que costuma levar preocupação para qualquer campanha eleitoral. Procurada por Pernambuco 247, a assessoria da campanha do PSB informou que o candidato desconhece o processo, uma vez que não foi notificado oficialmente.
A ação popular trata da desapropriação de uma série de terrenos, localizados no município de Goiana, na Zona da Mata Norte do Estado, que seriam empregados na construção de um distrito industrial e na implantação da fábrica da Fiat. Segundo a ação, além do desvio da finalidade que teria sido a razão das desapropriações, o pagamento dos terrenos teria sido feito acima dos preços praticados pelo mercado, e de forma a beneficiar uma outra empresa, a Companhia Agroindustrial de Goiana (Caig). A transação teria resultado em prejuízos de R$ 204 milhões aos cofres públicos.  O procurador-geral do Estado, Thiago Arraes de Alencar Norões, também aparece como réu na ação.
De acordo com a ação popular impetrada pelo advogado Péricles Henrique Ferreira da Silva, em março deste ano, o Governo de Pernambuco teria declarado, no dia 08 de agosto de 2011, como fins de utilidade pública sete engenhos pertencentes à Companhia Açucareira de Goiana – Usina Maravilhas, para fins de desapropriação, que seriam destinados à implantação de um distrito industrial naquele município. No dia seguinte à publicação do decreto no Diário Oficial do Estado, o Governo teria firmado um novo acordo com a Caig visando a desapropriação de um outro engenho, o Terra Rica, o que acabou não acontecendo.
No dia 29 de novembro do mesmo ano, antes que as ações de desapropriação dos terrenos pertencentes à Usina Maravilhas fossem ajuizadas, o Governo do Estado e a Caig teriam firmado um acordo de permuta da posse das terras que seriam alvo da desapropriação. Segundo a ação, "a desapropriação amigável" permitiria que "os imóveis a serem desapropriados da usina Maravilhas serão incorporados ao patrimônio da outorgada [Caig], através da celebração do adequado instrumento jurídico, observadas as formalidades legais e legislativas", diz o documento.
O desvio de finalidade estaria configurado, ainda segundo a ação popular, uma vez que os terrenos poderiam ser destinados à implantação do distrito industrial ou para a construção da Fiat "ou serem dados em pagamento de outras áreas".  "A desapropriação só pode acontecer para fins de interesse público e não pode ser utilizada como forma de pagamento. Se for para pagar, o Estado teria que desembolsar este dinheiro e não efetuar uma permuta como fez", diz um advogado que acompanha o andamento do caso.
Ainda segundo a ação popular, por este instrumento foi possível concretizar a permuta de 258,16 hectares de terras pertencentes à Caig por 6,173 hectares da Usina Maravilhas, uma área 24 vezes superior a que de fato ficou em poder do Estado. Os terrenos em questão são áreas vizinhas e com topografia similar, com acesso pela BR-101 e valores de mercado assemelhados.
Nesta transação, o Estado teria pago R$ 80,5 milhões pela desapropriação dos terrenos da Usina Maravilhas, que depois foram repassados à Caig, a um valor acima de mercado e que teria ocasionado prejuízos de pouco mais de R$ 10 milhões a Tesouro Estadual.
O Governo de Pernambuco também teria perdoado R$ 100 milhões do passivo tributário da empresa que estaria inscrito na dívida ativa do Estado.  Além disso, a Caig teria sido autorizada a colher sem ônus a cana-de-açúcar existente nos terrenos, totalizando R$ 24,1 milhões.
Ao ter conhecimento do processo, a 25ª vara Federal da Fazenda solicitou, sem sucesso, a penhora e o bloqueio da conta corrente da Usina Maravilhas e da sua coligada, a Usina Cruangi, em função delas e outras empresas ligadas ao grupo estarem inscritas na dívida ativa da União como devedoras de R$ 270,4 milhões. Juntando toda a operação, o prejuízo ao Estado teria chegado a R$ 204 milhões.
Segundo Péricles Henrique, a ação foi impetrada nominalmente por ele "como cidadão, advogado e eleitor" com o objetivo de evitar danos maiores ao erário público. Procurada pela reportagem do Pernambuco 247, a assessoria do ex-governador e presidenciável Eduardo Campos informou desconhecer a ação judicial por ainda não ter recebido nenhuma notificação sobre o assunto.

Dilma: "Suassuna traduziu a alma nordestina"

:
Em nota, a presidente Dilma Rousseff diz que guarda ótimas recordações dos encontros que teve com o escritor e desejou aos parentes, amigos e leitores, seus sentimentos neste momento de perda; velório do corpo de Suassuna será no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, no Recife; o enterro será amanhã (24), às 16h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, região metropolitana do Recife
Luciano Nascimento da Agência Brasil - A presidenta Dilma Rousseff destacou hoje (18) que a literatura brasileira perdeu uma grande referência cultural, com a morte do escritor e dramaturgo Adriano Suassuna.
Em nota divulgada após a notícia da morte de Suassuna, a presidenta diz que "Suassuna foi capaz de traduzir a alma, a tradição e as contradições nordestinas em livros como Auto da Compadecida, Romance d'A Pedra do Reino e O Príncipe do Sangue do Vai-e-Volta."
A nota destaca ainda que a obra do escritor pernambucano, que morreu em decorrência de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico, aos 87 anos, é essencial para a compreensão do Brasil.
A presidenta diz que guarda ótimas recordações dos encontros que teve com o escritor e desejou aos parentes, amigos e leitores, seus sentimentos neste momento de perda.
Suassuna era era membro da Academia Brasileira de Letras (ABL) desde 1994, ocupando a Cadeira 32.
Ele foi autor de mais de dezenas de peças de teatro e de livros, sendo o Auto da Compadecida, sua obra de maior alcance popular.
O velório do corpo de Suassuna será no Palácio do Campo das Princesas, sede do governo pernambucano, no Recife. O enterro será amanhã (24), às 16h, no Cemitério Morada da Paz, em Paulista, região metropolitana do Recife.

23 julho 2014

Ministro do TCU isenta Dilma no caso Pasadena

CHARGE DO BESSINHA

Ibope: Dilma mantém dianteira em 1º e 2º turnos

22 julho 2014

PT processa Aécio por peculato e prevaricação

:
Pega fogo a campanha eleitoral; o Partido dos Trabalhadores acaba de entrar com representação criminal contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em razão do aeroporto construído em terras que já pertenceram à sua família, no município mineiro de Cláudio; petição ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pede também que se investigue por que o governo mineiro optou pela fazenda de Múcio Tolentino, tio de Aécio; coordenador jurídico da campanha da presidente Dilma, Flávio Caetano diz que denúncia é "gravíssima", porque "além de mostrar que há um beneficiamento privado de algo que seja público, também há relação da empresa que fez o aeroporto com doações de campanha ao senador Aécio"; em nota, PSDB defendeu investigação e disse que obra atendeu a critérios técnicos

247 - Como havia decidido ontem, o PT pediu nesta terça-feira 22 ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à Presidência da República, pelos crimes de peculato (crime cometido contra a administração pública) e prevaricação. A representação se deve à construção de um aeroporto no município de Cláudio, em Minas Gerais, em terras que pertenceram ao tio de Aécio, na época em que o tucano era governador do estado.
"Os fatos são gravíssimos e merecem rigorosa apuração do Ministério Público, tanto em âmbito federal como em âmbito estadual, para apuração não só de atos de improbidade administrativa, mas de eventuais crimes", afirmou ao 247 o coordenador jurídico da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), Flávio Caetano. Segundo ele, trata-se da denúncia mais grave até este momento da campanha, "porque além de mostrar que há um beneficiamento privado de algo que seja público, também há relação da empresa que construiu o aeroporto com doações de campanha ao senador Aécio. Então é gravíssima".
Leia abaixo reportagem do portal Entrefatos e a íntegra do documento: 
PT pede a procurador da República investigar Aécio por peculato e prevaricação
Advogados do partido querem investigação de aeroporto construído em fazenda de parente
Redação Entrefatos - O Diretório Nacional do PT protocolou na tarde desta terça-feira (22) pedido ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que investigue a construção pelo governo mineiro, quando sob o comando de Aécio Neves, de um aeroporto na cidade de Cláudio, interior do estado. O governo Aécio construiu um aeroporto em área pertencente a um tio, Múcio Tolentino, e investiu R$ 14 milhões em obras no local, além de determinar o pagamento de indenização por desapropriação de R$ 1 milhão a um parente do governador.
O aeroporto não possui autorização para operação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e mesmo assim opera, segundo publicou no último domingo (20) a "Folha de S.Paulo". Além disso, o jornal descobriu que as chaves que dão acesso à pista de aviação ficam com a família de Múcio, que é tio-avô de Aécio. O senador e candidato a presidente do PSDB possui uma fazenda a seis quilômetros do aeroporto, passa fins de semana no lugar, embora tenha tentado dizer que o imóvel rural não é seu, e pertence somente ao "espólio de dona Risoleta Neves", sua avó.
Entre as alegações do partido de Dilma, está a possibilidade que Aécio cometeu crime de prevaricação, crime cometido por autoridade contra a administração pública. A petição a Rodrigo Janot pede que o procurador investigue a alegada operação irregular do aeroporto, já que não tem autorização da ANAC. Os advogados pedem também à procuradoria-geral da República que verifique a infração a três artigos do Código Brasileiro de Aeronáutica e dois artigos da Lei de Improbidade Administrativa, além do crime de peculato, previsto no artigo 312 do Código Penal.
O PT pede ainda que o procurador investigue porque o governo mineiro optou pela fazenda de Múcio Tolentino para a construção do aeroporto. "Nota-se que a prevalecer o divulgado pelas matérias, essa parceria público-privada remonta à história familiar do ex-governador", aponta a petição protocolada há pouco pelo PT.
Ontem (21), ao perceber que o assunto não ficaria circunscrito à "Folha de S.Paulo", o PSDB apresentou queixa ao Tribunal Superior Eleitoral, alegando que Aécio sofre "perseguição" do governo Dilma Rousseff, por uso da máquina pública, já que a ANAC afirmou que a operação da pista na fazenda de seu tio Múcio é irregular.

Índice Band: Dilma tem 50% dos votos válidos; Aécio, 27%

CHARGE DO BESSINHA

Lula defende investigação sobre aeroporto em Minas

:
Ex-presidente evitou fazer comentários sobre a denúncia de que o tucano Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, construiu um aeroporto com recursos públicos em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade de Cláudio (MG), mas defendeu apuração do episódio, publicado pela Folha de S. Paulo: "Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não", disse; "A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência", completou Lula, após participar de congresso de químicos na Praia Grande, litoral paulista

247 – O ex-presidente Lula defendeu, nesta terça-feira 22, que seja investigada a denúncia de que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, construiu um aeroporto em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade mineira de Cláudio. A estrutura foi construída durante seu segundo mandato como governador de Minas Gerais e teve investimento de quase R$ 14 milhões do estado.
"Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não", declarou Lula na Praia Grande, litoral paulista, onde participou hoje do 8º Congresso da FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores da Indústrias Químicas e Farmacêuticas do estado de São Paulo). "A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência", acrescentou.
O comitê da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) decidiu ontem que entrará com uma ação por improbidade administrativa contra Aécio no Ministério Público de Minas Gerais. De acordo com a coordenação jurídica da campanha, a representação seria formulada e apresentada ao órgão nesta terça-feira. Para o presidente do PT, Rui Falcão, o tucano "usou o governo de Minas como extensão de suas propriedades".
A Anac (Agência Nacional de Aviação) informou que irá investigar se houve uso irregular do aeródromo construído em Cláudio, uma vez que a área não tinha ainda, de acordo com a agência, autorização para realizar pousos e decolagens. A Anac deu dez dias para que o governo de Minas e a prefeitura se pronunciem. Em nota, o PSDB apontou perseguição do órgão regulador (leia aqui).