22 julho 2014

PT processa Aécio por peculato e prevaricação

:
Pega fogo a campanha eleitoral; o Partido dos Trabalhadores acaba de entrar com representação criminal contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), em razão do aeroporto construído em terras que já pertenceram à sua família, no município mineiro de Cláudio; petição ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pede também que se investigue por que o governo mineiro optou pela fazenda de Múcio Tolentino, tio de Aécio; coordenador jurídico da campanha da presidente Dilma, Flávio Caetano diz que denúncia é "gravíssima", porque "além de mostrar que há um beneficiamento privado de algo que seja público, também há relação da empresa que fez o aeroporto com doações de campanha ao senador Aécio"; em nota, PSDB defendeu investigação e disse que obra atendeu a critérios técnicos

247 - Como havia decidido ontem, o PT pediu nesta terça-feira 22 ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, investigação contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), candidato à Presidência da República, pelos crimes de peculato (crime cometido contra a administração pública) e prevaricação. A representação se deve à construção de um aeroporto no município de Cláudio, em Minas Gerais, em terras que pertenceram ao tio de Aécio, na época em que o tucano era governador do estado.
"Os fatos são gravíssimos e merecem rigorosa apuração do Ministério Público, tanto em âmbito federal como em âmbito estadual, para apuração não só de atos de improbidade administrativa, mas de eventuais crimes", afirmou ao 247 o coordenador jurídico da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT), Flávio Caetano. Segundo ele, trata-se da denúncia mais grave até este momento da campanha, "porque além de mostrar que há um beneficiamento privado de algo que seja público, também há relação da empresa que construiu o aeroporto com doações de campanha ao senador Aécio. Então é gravíssima".
Leia abaixo reportagem do portal Entrefatos e a íntegra do documento: 
PT pede a procurador da República investigar Aécio por peculato e prevaricação
Advogados do partido querem investigação de aeroporto construído em fazenda de parente
Redação Entrefatos - O Diretório Nacional do PT protocolou na tarde desta terça-feira (22) pedido ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, para que investigue a construção pelo governo mineiro, quando sob o comando de Aécio Neves, de um aeroporto na cidade de Cláudio, interior do estado. O governo Aécio construiu um aeroporto em área pertencente a um tio, Múcio Tolentino, e investiu R$ 14 milhões em obras no local, além de determinar o pagamento de indenização por desapropriação de R$ 1 milhão a um parente do governador.
O aeroporto não possui autorização para operação da ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e mesmo assim opera, segundo publicou no último domingo (20) a "Folha de S.Paulo". Além disso, o jornal descobriu que as chaves que dão acesso à pista de aviação ficam com a família de Múcio, que é tio-avô de Aécio. O senador e candidato a presidente do PSDB possui uma fazenda a seis quilômetros do aeroporto, passa fins de semana no lugar, embora tenha tentado dizer que o imóvel rural não é seu, e pertence somente ao "espólio de dona Risoleta Neves", sua avó.
Entre as alegações do partido de Dilma, está a possibilidade que Aécio cometeu crime de prevaricação, crime cometido por autoridade contra a administração pública. A petição a Rodrigo Janot pede que o procurador investigue a alegada operação irregular do aeroporto, já que não tem autorização da ANAC. Os advogados pedem também à procuradoria-geral da República que verifique a infração a três artigos do Código Brasileiro de Aeronáutica e dois artigos da Lei de Improbidade Administrativa, além do crime de peculato, previsto no artigo 312 do Código Penal.
O PT pede ainda que o procurador investigue porque o governo mineiro optou pela fazenda de Múcio Tolentino para a construção do aeroporto. "Nota-se que a prevalecer o divulgado pelas matérias, essa parceria público-privada remonta à história familiar do ex-governador", aponta a petição protocolada há pouco pelo PT.
Ontem (21), ao perceber que o assunto não ficaria circunscrito à "Folha de S.Paulo", o PSDB apresentou queixa ao Tribunal Superior Eleitoral, alegando que Aécio sofre "perseguição" do governo Dilma Rousseff, por uso da máquina pública, já que a ANAC afirmou que a operação da pista na fazenda de seu tio Múcio é irregular.

Índice Band: Dilma tem 50% dos votos válidos; Aécio, 27%

CHARGE DO BESSINHA

Lula defende investigação sobre aeroporto em Minas

:
Ex-presidente evitou fazer comentários sobre a denúncia de que o tucano Aécio Neves, quando governador de Minas Gerais, construiu um aeroporto com recursos públicos em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade de Cláudio (MG), mas defendeu apuração do episódio, publicado pela Folha de S. Paulo: "Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não", disse; "A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência", completou Lula, após participar de congresso de químicos na Praia Grande, litoral paulista

247 – O ex-presidente Lula defendeu, nesta terça-feira 22, que seja investigada a denúncia de que o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, construiu um aeroporto em propriedade que pertenceu ao seu tio, na cidade mineira de Cláudio. A estrutura foi construída durante seu segundo mandato como governador de Minas Gerais e teve investimento de quase R$ 14 milhões do estado.
"Eu não comento denúncia porque denúncia tem que ter um processo de investigação para saber se tem procedência ou não", declarou Lula na Praia Grande, litoral paulista, onde participou hoje do 8º Congresso da FEQUIMFAR (Federação dos Trabalhadores da Indústrias Químicas e Farmacêuticas do estado de São Paulo). "A denúncia foi feita e deve ser investigada para saber se tem procedência", acrescentou.
O comitê da campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) decidiu ontem que entrará com uma ação por improbidade administrativa contra Aécio no Ministério Público de Minas Gerais. De acordo com a coordenação jurídica da campanha, a representação seria formulada e apresentada ao órgão nesta terça-feira. Para o presidente do PT, Rui Falcão, o tucano "usou o governo de Minas como extensão de suas propriedades".
A Anac (Agência Nacional de Aviação) informou que irá investigar se houve uso irregular do aeródromo construído em Cláudio, uma vez que a área não tinha ainda, de acordo com a agência, autorização para realizar pousos e decolagens. A Anac deu dez dias para que o governo de Minas e a prefeitura se pronunciem. Em nota, o PSDB apontou perseguição do órgão regulador (leia aqui).

Dilma reduz impostos de mais 174 remédios

:
Lista com isenção de impostos passa a ter 1.645 produtos com a atualização dos preços da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa); "pacote de bondades" do governo Dilma Rousseff garante que 75% dos remédios comercializados no País terão preço reduzido; medida visa reduzir o custo para o tratamento de artrite reumatoide, câncer de mama, leucemia, hepatite C, doença de Gaucher e HIV, entre outros


Os medicamentos que passaram a ter a isenção do PIS/COFINS chegam mais baratos nas farmácias a partir desta segunda-feira (21). O governo federal ampliou em 174 a lista de substâncias que ficam livres da cobrança desses tributos, o que deve levar a uma redução de 12%, em média, nos preços dos produtos. A chamada “lista positiva”, com a inclusão dos novos produtos, já soma mais de mil itens com sistema especial de tributação, o que representa 75,4% dos medicamentos comercializados em todo o País.
Atualmente, quase a totalidade dos medicamentos tarja vermelha e preta estão isentas de PIS/COFINS. Essa medida visa reduzir o custo para a população com medicamentos essenciais, utilizados para o tratamento de artrite reumatoide, câncer de mama, leucemia, hepatite C, doença de Gaucher e HIV, entre outros.
Os critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e a Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) na seleção das substâncias que terão o benefício levam em consideração as patologias crônicas e degenerativas, os programas de saúde do governo instituídos por meio de políticas públicas e a essencialidade dos medicamentos para a população. Para fazerem jus ao benefício, os medicamentos devem estar sujeitos à prescrição médica e estarem destinados à venda no mercado interno.
A Câmara de Regulação é responsável pelo monitoramento dos preços dos remédios e por garantir que as reduções tributárias sejam integralmente refletidas nos preços fixados como teto para os produtos.
Categoria I - Medicamentos monodroga identificados com tarja vermelha ou preta 

Caro titio: aecioporto custa tanto quanto aeroporto comercial no Ceará


Fernando Brito, Tijolaço 

'O “aecioporto” construído no município de Cláudio, junto à fazenda de Aécio Neves, custou, como está publicado, R$ 13,4 milhões, isso na data da licitação, em dezembro de 2008.

Como se viu, ele consiste quase que exclusivamente numa pista de 30 metros de largura com 1 km de extensão.

Não tem estação de passageiros, área de carga, apenas um “quadradão” asfaltado para o estacionamento de aeronaves e automóveis.

O valor, corrigido de janeiro de 2009  para maio de 2012, pelo IGP-M, equivale a R$ 17,9 milhões.

Fora o “milhãozinho” que o titio de Aécio achou pouco pelo terreno, sem contar a valorização da área não desapropriada.

No Ceará, um aeroporto comercial – o de Aracati – voltado para o turismo, com uma capacidade para atender Boeings 737 em até 1200 vôos por ano (o de Cláudio, segundo a Folha, recebe um avião pequeno por semana) custou R$ 19 milhões em obras civis, em valor de 2013.

Tem pista de 2200 metros de extensão (incluindo 400 m de área de escape), capaz de suportar aeronaves pesadas. Tem área de taxiamento e pátio de estacionamento de aeronaves de 13 mil metros quadrados, o que, sozinha, já equivale a quase metade da pista de Cláudio. Tem posto para bombeiros. Tem, sobretudo, uma estação de passageiros para atender o movimento turístico.

O custo total da obra, operada por parceria com a TAM, ficou em R$ 19 milhões, em valores de 2012.


Depois de exigências de equipamentos, o aeroporto de Aracati foi homologado pela ANAC e, além dos vôos turísticos ou regulares para aquele trecho do litoral cearense, vai receber as aeronaves para o Centro de Manutenção da TAM, ali ao lado.

Quem sabe algum jornal se interessa pelo assunto?

Se quiserem, procurem a Anac, que tem planilhas de custo padrão para aeroportos. É só pedir que eles dão."
http://nogueirajr.blogspot.com.br/2014/07/caro-titio-aecioporto-custa-tanto.html#more

CHARGE DO BESSINHA

21 julho 2014

PT confirma ação contra Aécio por aeroporto

:
Coordenação jurídica da campanha da presidente Dilma Rousseff decidiu que irá entrar nesta terça-feira com uma representação por improbidade administrativa no Ministério Público de Minas Gerais contra o candidato do PSDB, Aécio Neves; ação se deve a denúncia publicada pela Folha de S. Paulo neste domingo de que o tucano, quando governador de Minas, construiu um aeroporto com recursos públicos em terras que pertenceram à sua família; presidente do PT, Rui Falcão, disse ontem que o senador "usou o governo de Minas Gerais como extensão de suas propriedades"; senador atribuiu a reportagem ao "período eleitoral"

247 – O comitê da campanha da presidente Dilma Rousseff decidiu, na tarde desta segunda-feira 21, entrar com uma representação por improbidade administrativa no Ministério Público de Minas Gerais contra o candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves.
A ação, que deve ser apresentada nesta terça-feira, tem como base denúncia da Folha de S. Paulo publicada neste domingo acusando Aécio de ter construído, no segundo mandato de seu governo em Minas, um aeroporto com quase R$ 14 milhões de recursos públicos em uma propriedade que pertencia ao seu tio, no município de Cláudio (leia mais).
Nesta segunda-feira, durante visita ao Santuário Nossa Senhora da Piedade, em Caeté, na Grande Belo Horizonte, o presidenciável minimizou a denúncia, atribuindo-a ao "período eleitoral" (leia aqui). "Não podemos aceitar é que em razão da proximidade eleitoral se deturpe fatos", disse o tucano.
Ontem, o presidente do PT e membro do comitê presidencial de Dilma, Rui Falcão, acusou Aécio Neves de "usar o governo de Minas Gerais como extensão de suas propriedades" e de não distinguir o "público do privado". Aécio publicou respostas à reportagem pelas redes sociais (leia mais).
Anac vai investigar pousos e decolagens em aeródromo
A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) vai investigar se há registro de pousos e decolagens no aeródromo construído durante o governo de Aécio na cidade de Claúdio. Isso porque, de acordo com a agência, não há autorização para o uso da estrutura, uma vez que a pista ainda não foi liberada pelo órgão de fiscalização.
De acordo com a reportagem da Folha, o aeródromo foi construído em um terreno que já pertenceu a Múcio Guimarães Tolentino, tio-avô de Aécio e ex-prefeito do município de Cláudio. A matéria traz relato de um primo que afirma que Aécio usa o aeroporto toda vez que visita a cidade.
A Anac deu dez dias para o governo de Minas e a prefeitura se pronunciarem sobre o caso e investigará se houve operações clandestinas no local.

CHARGE DO BESSINHA

Aeroporto de Divinópolis a 30km do aeroporto do Aécio desmente "critério técnico".


Divinópolis tem 226 mil habitantes e é cidade vizinha de Cláudio, que tem 25 mil habitantes, onde Aécio Neves gosta de passear na fazenda da família e quando governador construiu um aeroporto na fazenda que era do tio com dinheiro público do Estado de Minas.

Divinópolis é a cidade pólo da região centro-oeste de Minas, e já tem o Aeroporto Brigadeiro Cabral que atende às cidades vizinhas. Tem boa infra-estrutura com hangares, posto de abastecimento, terminal de passageiros e com projeto de expansão. Fica apenas 30Km ao norte do aeroporto construído em Claudio, em linha reta. De carro fica cerca de 40 minutos por rodovia asfaltada.

Por isso, diferente do que quis se defender Aécio Neves, não há critério técnico que explique gastar R$ 14 milhões do orçamento de Minas (fora o valor da desapropriação para o tio) na construção de outro aeroporto vizinho, há apenas 30km ao sul, sem movimento (a não ser do senador, seus familiares e amigos quando vão passear na sua fazenda).

O único critério nada técnico que a gente consegue enxergar é o senador tucano deixar de andar de carro cerca 40 minutos do aeroporto de Divinópolis até a fazenda de sua família em Cláudio, quando vem passear de jatinho do Rio de Janeiro, onde mora.

Se a pista fosse construída com dinheiro privado e lícito, tudo bem, mas construída com dinheiro do contribuinte mineiro, é bandalheira nos cofres públicos.
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

Ibope: Dilma tem 41%, Aécio 23% e Campos 6% no RS

Como a família de Aécio ficou dona de terras públicas em Minas

Por Helena Sthephanowitz

REDE BRASIL ATUAL
Pai do senador registrou em seu nome uma área de 950 hectares pertencente aos mineiros localizada numa das regiões mais pobres do estado. Aécio governador entrou em conflito com Aécio herdeiro

© GEORGE GIANNI / PSDB.ORG.BR
Aecio-NevesPSDB.jpg
Aécio Neves, senador por Minas Gerais e candidato tucano à Presidência da República: multiplicação de patrimônio
Montezuma é um município mineiro no norte de Minas Gerais com um dos mais baixos Índices de Desenvolvimento Humano (IDH) do estado. Deputados, governadores e senadores mineiros poderiam desenvolver boas políticas públicas para elevar o desenvolvimento local, tais como incentivar as pequenas propriedades rurais familiares. No entanto o município é palco de uma triste história do patrimonialismo de oligarquias políticas do Brasil.
Terras rurais em Montezuma que foram registradas pelo estado de Minas como devolutas acabaram indo parar no patrimônio pessoal do senador Aécio Neves (PSDB) após uma disputa judicial por usucapião da empresa agropecuária de seu pai.
O fim desta história aparece com o patrimônio do senador engordando na declaração de bens feita nas eleições de 2014 em relação à de 2010. O segundo maior item de sua variação patrimonial foi no valor de R$ 666.660,00 referente a cotas da empresa Perfil Agropecuária e Florestal Ltda., herdadas de seu pai falecido.
Até aí estaria tudo bem. O problema é quando voltamos ao dia 2 maio de 2000, quando se iniciou uma disputa para apropriar-se de terras públicas, típica do coronelismo patrimonialista praticado nos rincões do Brasil arcaico.
A Perfil Agropecuária e Florestal Ltda. pertencia a Aécio Ferreira da Cunha, pai do senador tucano. A empresa entrou com processo de usucapião para registrar a propriedade de vastos 950 hectares de terras em Montezuma, em 2/5/2000. Já soa injusto a lei permitir que uma empresa de um ex-deputado, que morava desde a década de 1960 no Rio de Janeiro, ser tratada como se fosse de camponeses posseiros que adquirem o direito ao usucapião por trabalharem e viverem na terra. O juizado da comarca de Rio Pardo de Minas julgou a favor da empresa em 2001.
Na hora de a empresa registrar a fazenda no Cartório de Registro de Imóveis competente, a área já estava registrada em nome do Estado de Minas Gerais, como terras devolutas, em cumprimento a outra ordem judicial anterior da Apelação Cível nº 86.106/4.
A partir daí houve longa disputa judicial, com o estado de Minas recorrendo para ter as terras de volta. Desembargadores mineiros votaram a favor da família de Aécio. Recursos chegaram até ao Supremo Tribunal Federal (STF), o último arquivado em 2013, que também foi favorável ao lado do tucano.
É preciso lembrar que em 2000 o atual senador Aécio Neves era deputado federal pela quarta vez e deveria representar mais os interesses públicos dos cidadãos de Minas do que seu próprio interesse privado. De 2003 a 2010 foi governador de Minas. Presenciamos a inusitada situação política de, na prática, o interesse do Aécio herdeiro brigar na justiça com o de Aécio governador. O interesse patrimonial privado do herdeiro falou mais alto do que o interesse público da população que o cargo de governador deveria representar.
Uma gleba de 950 hectares de terras devolutas poderia ser a redenção de famílias camponesas pobres de Montezuma, através da geração de renda pela produção da agricultura familiar, em vez de apenas somar um pouco mais ao já elevado patrimônio da oligarquia política dos Neves da Cunha.
Este caso explica muito das raízes da desigualdade passada de geração para geração e da concentração das riquezas no Brasil nas mãos de poucos. Muitas destas riquezas vindas de um processo de apropriação de patrimônio público por mãos privadas, justamente pelas mãos de quem deveria defender o interesse e o patrimônio público.

Operação Grilo

O caso é outro e não aparece a família de Aécio Neves no meio das acusações, mas sim órgãos do governo tucano de Minas e velhas práticas de outras oligarquias políticas. Em 2011 a Operação Grilo prendeu nove pessoas acusadas de comporem uma organização criminosa para fazer grilagem de terras públicas justamente nesta região norte de Minas Gerais. Toda a cúpula do Instituto de Terras do Estado de Minas Gerais (Iter-MG) foi afastada.
Segundo as investigações, o esquema contava com servidores públicos do Iter/MG, funcionários de cartórios e servidores de prefeituras mineiras, para fraudar a posse de terras devolutas.
O promotor Daniel Castro, de Rio Pardo de Minas, disse na época: "São terras que pertencem ao estado de Minas Gerais e foram parar nas mãos de particulares."
As reproduções abaixo mostram a documentação que legitimou a posse de terras da União para a família Neves
perfil_agro_aecio_usuapiao.jpg

CHARGE DO BESSINHA

Comitê de Dilma cogita ação contra Aécio

20 julho 2014

CHARGE DO BESSINHA


Lula será âncora do programa de TV de Dilma

:
Na reta final da campanha pela reeleição, foco do PT é renovar a imagem de que a presidente Dilma Rousseff é herdeira de Lula, maior cabo eleitoral do partido; ele tem concentrado esforços em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, para transferir votos para Dilma; na próxima semana, o comitê eleitoral também vai lançar nova ofensiva na rede social contra o adversário Aécio Neves com o placar: “20 x 5: 20 milhões de empregos criados na gestão petista x 5 milhões na gestão tucana”, em resposta às provocações do Instituto Teotônio Vilela; órgão por trás da doutrina no PSDB usou o placar da derrota do Brasil para a Alemanha como referência da inflação x crescimento

247 – O ex-presidente Lula vai assumir um papel ainda mais central na campanha pela reeleição da presidente Dilma Rousseff. Na reta final até as eleições e diante do crescimento da rejeição ao governo Dilma, apesar de ainda ter chances de vencer no primeiro turno segundo recente pesquisa Datafolha, intenção do PT é renovar a imagem de que Dilma é herdeira de Lula, seu maior cabo eleitoral.
Dilma também vinculado sua imagem à história do PT e de Lula em agendas públicas com sindicalistas.
Lula tem concentrado esforços em São Paulo, maior colégio eleitoral do Brasil, e já adotou a campanha pelo governo do Estado, de Alexandre Padilha, como prioridade para transferir votos para a presidente Dilma. Escalou time de prefeitos do PT na Grande São Paulo e no interior para blindar os dois candidatos. “Não vamos admitir ofensas pessoais nem baixarias”, disse o presidente do PT, Rui Falcão.
Leia ainda a nota de Ilimar Franco, do Globo:
Lula na TV
O ex-presidente Lula vai ser o âncora do programa de TV da presidente Dilma. Caberá a ele apresentar as realizações do governo. A ideia é renovar a imagem de que Dilma é herdeira de Lula. Ao contrário da reta final da campanha de 2010, quando a presença de Lula e o protagonismo de Dilma dividiram os marqueteiros petistas, agora estão todos convencidos que Lula é o ator principal.
Ataque e contra-ataque
Essa campanha promete ser muito criativa. Os primeiros movimentos revelam que os times da presidente Dilma e do senador Aécio Neves estão afiados. O Instituto Teotônio Vilela ganhou as redes sociais por esses dias com um bordão econômico que faz alusão à derrota do Brasil à Alemanha na Copa: “7 x 1: 7% de inflação x 1% de crescimento.” Os petistas rangeram os dentes. Na próxima semana, o comitê eleitoral da presidente Dilma vai lançar na rede o seu placar: “20 x 5: 20 milhões de empregos criados na gestão petista x 5 milhões na gestão tucana”. A campanha na TV e nas redes sociais induziu o peso do corpo a corpo nas eleições para o Executivo.

Cúpula dos Brics coroa política externa inovadora

Os números, a realidade e a fantasia do último Datafolha

Os candidatos
Os candidatos
Pesquisa é uma coisa interessante. Você interpreta os números como quer.
A última da Datafolha, por exemplo.
Vi, nos sites das grandes empresas de mídia, o absoluto destaque não para o primeiro turno, que é certo, mas para o segundo, que é incerto.
Por quê?
Porque, de acordo com simulações, tanto Aécio quanto Eduardo Campos diminuem num eventual segundo turno a distância que os separa de Dilma.
Aécio, especificamente, ficaria a 4 pontos percentuais: 44% a 40%. Como a margem de erro é de dois pontos para cima ou para baixo, isso configuraria um empate técnico.
Até Campos, que tem se arrastado na casa de um dígito, vira um candidato poderoso num segundo turno, conforme o Datafolha. Não chega a empate técnico, mas não está tão longe assim.
As simulações de segundo turno trouxeram euforia aos suspeitos de sempre. Praticamente foi esquecido o primeiro turno nos títulos. As chamadas eram variações em torno disso: “Dilma e Aécio tecnicamente empatados no segundo turno”.
De volta ao mundo real, as notícias relativas ao primeiro turno não são auspiciosas assim para os interessados na remoção de Dilma e do PT.
Os três principais candidatos ficaram mais ou menos onde estavam no Datafolha anterior.
Dilma apareceu com 36% das intenções. Aécio continuou com 20% e Campos com 8%.
Os dois somados não levariam a disputa para uma segunda rodada, portanto. Para chegar aos 36% necessários para isso, entraram diversos nanicos.
Até Emayel, que não pontuara em nenhum outro levantamento, contribuiu com seu 1% para que o total ficasse em 36% a 36%.
Vocês podem imaginar a alegria de certos comentaristas ao analisar – ou torcer, ou massagear – os números.
Revi, depois de longa data, Merval Pereira na Globonews. Acho que a última vez que o vira fora nas eleições municipais de 2002.
Terminado o jogo do Corinthians, ontem, zapeei, e fui dar numa reportagem da Globonews sobre a pesquisa.
Quem ouviu Merval saiu com a quase certeza de que Dilma está frita. A situação dela, disse Merval, não é apenas grave, no que diz respeito à tentativa de reeleição. É muito grave. É bastante grave.
O espectador crédulo poderia pegar suas reservas, depois de ouvir Merval, e apostar numa casa de jogo londrina contra Dilma. Faria um bom dinheiro.
O que você vê na mídia, a cada pesquisa, é algo muito mais ligado a torcida e vontade do que a jornalismo e realidade.
A real notícia por trás do último Datafolha é que ainda não está claro se haverá segundo turno.
Existe uma possibilidade grande que as coisas acabem no primeiro, até porque o tempo de Dilma no programa eleitoral é bem superior ao dos demais candidatos, e Lula no papel de cabo eleitoral pode fazer muita diferença.
Mas, mesmo tudo isso considerado, qualquer, é claro, pode acontecer. Aécio pode dar uma arrancada triunfal, e mesmo Eduardo Campos pode conseguir o milagre da multiplicação de votos.
Dilma, nestas circunstâncias, seria varrida.
Só que os números do Datafolha mostram outra coisa, por mais que sejam manuseados e apresentados de uma maneira peculiar para as pessoas.
Por ora, o que se tem não passa disso: não está claro se haverá segundo turno.
O resto é torcida.
Paulo Nogueira
Sobre o Autor
O jornalista Paulo Nogueira é fundador e diretor editorial do site de notícias e análises Diário do Centro do Mundo.

Justiça torna réus Parreira e ex-auxiliares do tucano Anastasia



A Justiça de Minas Gerais acatou ação e transformou em réu o ex-coordenador técnico da seleção brasileira Carlos Alberto Parreira, além do ex-secretá-rio extraordinário da Copa em Minas Gerais, Sérgio Barroso, e o atual secretário de Turismo e Esportes do Estado, Tiago Lacerda, que sucedeu a Barroso na extinta Secopa.

A ação foi proposta pelo Ministério Público Estadual por causa do contrato firmado entre o governo mineiro, o treinador e a empresa Alfa Consultoria Esportiva, assinado em abril de 2012, durante a gestão do ex-governa-dor Antonio Anastasia (PSDB) -hoje candidato ao Senado e ex-coordenador do programa de governo do presidenciável tucano, senador Aécio Neves (MG). O objetivo do contrato, de RS 1,2 milhão, era atrair para o Estado seleções que vieram ao Brasil disputar a Copa do Mundo.

Lacerda é filho do prefeito de Belo Horizonte, Mareio Lacerda, do PSB. Apesar de ser do partido de Eduardo Campos, candidato à Presidência, o prefeito é aliado de Aécio.

Pelo acordo, Parreira atuaria como uma espécie de "embaixador" para divulgar o Estado no exterior, além de prestar consultoria a 19 municípios interessados em servir de base para seleções estrangeiras no Mundial. Ele, porém, abandonou a função sete meses depois de assinar o contrato, ao ser chamado pela Confederação Brasileira de Futebol para ser coordenador técnico - cargo do qual foi dispensado após o término da Copa do Mundo no Brasil.

Para os promotores, a contratação de Parreira caracterizou improbidade administrativa porque foi feita sem licitação - a justificativa do governo foi de "notória especialização". Além disso, a ação civil pública aponta irregularidade na rescisão "amigável" do contrato (em novembro de 2012), na qual o Estado pagou RS 279 mil a Parreira.

Devolução. A Promotoria afirma que o Estado deveria exigir a devolução do dinheiro pago a Parreira, já que ele não cumpriu o contrato, que previa a entrega de dez "produtos", entre os quais relatórios sobre as 19 cidades mineiras e de cinco "tours internacionais" para contatos com confederações de futebol.Entre as medidas solicitadas à Justiça está o bloqueio de bens dos envolvidos. Informações do jornal O Estado de SP
http://osamigosdopresidentelula.blogspot.com.br/

Petrobras chega a 2 milhões de barris por dia no Brasil

Brasil 247 / Reuters

A Petrobras produziu média de 2,008 milhões de barris de petróleo por dia (bpd) no Brasil em junho, alta de 1,5 por cento em relação ao mesmo mês do ano passado e de 1,7 por cento ante maio, informou a estatal nesta sexta-feira.

A empresa não registrava média de produção mensal acima de 2 milhões de bpd desde dezembro de 2012, quando produziu 2,03 milhões de bpd. Apesar do aumento recente da produção do pré-sal, campos maduros da estatal declinaram.

A companhia tem metas ambiciosas para 2014, de elevar a produção de petróleo ao final do ano em 7,5 por cento ante 2013, à medida que novas áreas, especialmente do pré-sal, entram em operação. Mas no segundo trimestre a extração no país cresceu em média 2,1 por cento, segundo cálculos da Reuters com base em números da empresa, o que coloca desafios para a estatal.

Já a produção de gás da Petrobras, em junho, atingiu média diária de 66,4 milhões metros cúbicos, um recorde mensal, com avanço de 4,7 por cento em relação a junho de 2013 e alta de 1,5 por cento frente maio.

Somando a produção de petróleo e gás no Brasil, que responde por grande parte da extração da empresa, a Petrobras produziu 2,42 milhões de barris de óleo equivalente por dia, alta de 1,6 por cento em relação ao mês anterior.

"O crescimento da produção decorreu, principalmente, do aumento do volume produzido pela plataforma P-62, que começou a operar em maio no campo de Roncador (Bacia de Campos)", disse a companhia, que garantiu em nota que novos sistemas e outros que ainda entrarão em 2014 devem contribuir para o crescimento da produção conforme o previsto no Plano de Negócios 2014-2018.

Outra contribuição para a alta da produção em junho veio da entrada em operação, também em maio, de um novo poço ligado à plataforma P-48, no campo de Caratinga, no pré-sal da Bacia de Campos.

Além disso, a plataforma P-51, no campo de Marlim Sul, também em Campos, voltou a operar após parada programada paramanutenção. A empresa também iniciou Teste de Longa Duração (TLD) na área de Iara Oeste, na Bacia de Santos.

No pré-sal, a Petrobras informou que a produção média atingiu 477 mil bpd em junho, com alta de 6,7 por centro em relação a maio. Esse volume inclui a parte operada pela estatal para seus parceiros.

A empresa ponderou ainda que, de acordo com o planejado, em junho foram executadas paradas programadas para manutenção em algumas plataformas, o que resultou na interrupção temporária de 19 mil bpd na produção média do mês."